Liceu Pasteur - Ensino Médio, Fundamental e Infantil

Notícias / Reportagens

Voltar
Reportagens - 16/08/2017

Intercâmbio Brasil-França

Alunos do Liceu Pasteur participaram de intercâmbio, entre os dias 17 de junho e 8 de julho, na cidade de Antibes, na França.

Quando o grupo de 17 alunos do Liceu Pasteur embarcou, no último dia 17 de junho, para o Curso de Férias na cidade de Antibes, na França, certamente nenhum deles imaginava o que traria de volta na bagagem após três semanas de intercâmbio coordenado pela Experimento, empresa especializada em intercâmbios e que conta com sede em São Paulo. Quem tem a oportunidade de falar com cada um dos alunos percebe que, além de muita história para contar, todos voltaram com uma percepção em comum: em pouco menos de um mês fora de casa e longe da família, sentem-se mais seguros de suas capacidades, independentes e certos de que subiram alguns degraus na escada do amadurecimento pessoal.

O Curso de Férias começou a ser planejado em junho de 2016, quando o colégio, em parceria com a Experimento, passou a fazer divulgação do curso no exterior e a angariar participantes. Já faz algum tempo que a Direção do Liceu desejava organizar algo deste tipo para os alunos, tendo sido pesquisadas empresas que tivessem o perfil desejado. No final, a Experimento conseguiu montar um plano para levar os alunos à França com foco no aprimoramento do idioma, além de outras atividades locais que aumentassem a carga cultural de quem fizesse parte da turma.

  Ao longo de um ano, uma das tarefas dos representantes da Experimento era mostrar aos pais a importância de uma experiência como essa na vida de um adolescente. Mais que isso, foi preciso saber lidar com a angústia destes pais, já que a maioria dos alunos que integravam o grupo de intercâmbio nunca havia viajado sozinha. “É importante mostrar aos pais que tudo é muito pensado. Temos parceria com escolas especializadas em receber estrangeiros e tudo é feito com muito critério para que haja extrema segurança em tudo o que vai ser feito por lá. A cidade de Antibes, por exemplo, é pequena e extremamente segura, além de ser um ponto estratégico na Riviera Francesa para passeios culturais e de lazer”, explicam Débora Lima, supervisora da Experimento que acompanhou os alunos ao longo de toda a viagem, e Daniela Carderelli, diretora da Experimento.

Estudos, passeios e desafios – Para um grupo de adolescentes, com faixa etária entre 13 e 17 anos, uma viagem como essa é, sem dúvida, recheada de novidades. Apesar de saírem do Brasil com o foco em aprimorar o idioma francês, os alunos sabiam que teriam que enfrentar alguns desafios, mas não imaginavam que trariam de volta tantas recordações para a vida inteira.

Assim que chegaram em Antibes, eles já passaram a ter contato com uma série de situações peculiares. Uma delas era a necessidade de ter desenvoltura com os demais estrangeiros, que estavam na mesma escola e com o mesmo objetivo. O Centre International D’Antibes, instituição na qual participaram das aulas de francês, contava com estudantes de outras 10 nacionalidades. E todos os alunos do Liceu Pasteur concordam que a convivência com tantas culturas diferentes é algo que muda a forma de pensar, de agir e de se relacionar.

Um dos exemplos da turma é o de Mariana, que está com 16 anos e viajou com sua irmã Ana Beatriz, que tem 13 anos e era a mais jovem do grupo. Mariana é incisiva ao dizer que a viagem mudou sua forma de pensar e de se relacionar com as outras pessoas. “Eu sempre fui muito tímida e tinha dificuldade de me relacionar, até mesmo com meus colegas. Eu superei meus medos, pois não havia outro caminho a não ser me comunicar para poder conhecer os outros estudantes e aproveitar tudo o que estava acontecendo naqueles dias. Volto para casa com o sentimento de que amadureci. Sinto que posso ser independente. E isso vai mudar minha postura daqui pra frente”, revela Mariana.

Outro ponto fundamental que marcou a viagem foi a questão da alimentação. Sem exceção, todos apontam que foi preciso se adaptar, principalmente com o cardápio diário da instituição francesa. “A comida não é ruim. Há muitas opções de pães, por exemplo. Também utilizam a batata em muitos pratos. Os doces eram excelentes. Mas não dá pra comparar com a comida brasileira”, conta Daniel, acompanhado na declaração por todos os outros colegas.

Programação – Além das aulas que aconteciam no período das 9h às 12h, os alunos puderam desfrutar de outras atividades. “Antibes é uma cidade privilegiada em sua localização. Por isso, foi possível levar os alunos a lugares maravilhosos e muito ricos de história, sem precisar fazer grandes deslocamentos. Esse foi um ponto importante do planejamento. Foi possível aproveitar ao máximo todos os dias que ficamos por lá e conhecer outras cidades”, reforça Débora Lima.

  Entre as cidades visitadas pelos alunos estiveram Nice, Mônaco, Cannes e a Ilha de Santa Margarida, que são localidades cheias de histórias. Sem falar na beleza da Riviera Francesa banhada pelo Mar Mediterrâneo. “O Mar Mediterrâneo apresenta um degradê, em azul, que proporciona um visual espetacular. Isso marca a viagem”, frisa Rodrigo, da 3ª Série do Ensino Médio.

Se houver dúvida sobre o que representou a experiência para a turma de alunos participante do Curso de Férias do Liceu, basta perguntar para três alunos da turma que já tiveram oportunidades semelhantes: Mariana, Thales e Victor fizeram intercâmbio outras vezes. Mas concordam que estar com os colegas de Liceu fez muita diferença para aproveitar e absorver tudo o que proporciona uma viagem como essa. Thales foi ainda mais cirúrgico e resumiu o sentimento de todos que fizeram parte do grupo: “Essa viagem foi memorável”.

Veja a Galeria de fotos: Clique aqui

Compartilhe: Voltar